top of page
Buscar
  • Foto do escritorInstituto Genéve

Quais as principais abordagens da Psicologia?

As escolas teóricas que embasam as diferentes linhas de tratamento psicoterapêutico se desenvolveram ao longo de toda a história das ciências psicológicas, cada uma com seus precursores, suas técnicas, conceitos e pressupostos.

A abordagem utilizada determina a condução do atendimento psicológico. É essa base que indica como o terapeuta vai olhar para o seu paciente e trabalhar o problema apresentado. Importante também considerar os objetivos do indivíduo, ou seja, o que ele quer tratar, quais mudanças está disposto a realizar e em quanto tempo espera ver resultados.


Psicanálise

Essa escola, considerada a primeira da psicoterapia, teve Sigmund Freud como o grande precursor. Alguns dos conceitos da teoria freudiana foram tão difundidos que caíram no conhecimento da população.

Na terapia psicanalítica o terapeuta auxilia o paciente a resgatar e reintegrar situações do seu inconsciente, desde os que aparecem em sonhos até aqueles que nunca são acessados. Assim, ele passa a compreender e lidar com os conflitos que vivencia no presente.

Isso é feito por meio de uma técnica chamada associação livre, que conduz o indivíduo a verbalizar livremente todos os pensamentos que invadirem sua mente, independentemente de seu teor. Esse método pode fazer emergir fatos reveladores, que não eram de conhecimento consciente da própria pessoa. Outros conceitos bem conhecidos da psicanálise de Freud são a Teoria das Pulsões (pulsão de vida e de morte) e os elementos do aparelho psíquico (id, ego e superego).

Outras linhas psicanalíticas, além da Freudiana, baseiam-se nas teorias de Carl Gustav Jung, Jacques Lacan, Melanie Klein, Wilhelm Reich, entre outras.


Análise Junguiana

Carl Gustav Jung foi outro nome de grande influência na história da psicanálise, no entanto, seu pensamento trouxe considerações um pouco diferentes das que foram apresentadas na escola Freudiana.

Para Jung, os sonhos também são objetos de análise, mas são investigados a partir do conceito de personificação do inconsciente (ele acreditava que vivemos narrativas e assumimos determinados personagens quando sonhamos).

No lugar da associação livre, a análise Junguiana aposta na técnica da imaginação ativa, na qual o paciente aprende a liberar suas fantasias e conhecer os outros personagens que habitam em sua mente, por isso, é comum a utilização de artes como desenhos, pinturas, entre outras.

Behaviorismo

O behaviorismo é, na verdade, a Psicologia comportamental, que tem como ponto central a análise e modificação dos comportamentos. O fundador dessa escola foi B. F. Skinner, que comprovou que nossas ações dependem das seguintes relações funcionais: estímulo antecedente – resposta comportamental – consequência.

Essa abordagem determina que o comportamento humano é modificado de acordo com os estímulos do ambiente em que estamos inseridos, dessa forma, a terapia comportamental é um processo mais diretivo: o analista avalia quais as necessidades do paciente e propõe técnicas que o ajudem a modificar seus padrões de ação.


Humanismo

Um dos conceitos centrais da Psicologia humanista é a aceitação incondicional. Segundo essa visão, o indivíduo só consegue mudar a partir do momento que ele se aceita como realmente é. Um exemplo disso é visto em casos de recuperação de dependentes químicos, que apenas buscam tratamento quando admitem que têm um problema.

Mas a intervenção proposta por Rogers, conhecida como terapia centrada na pessoa, não tem o foco na admissão de culpa. Ao contrário, o objetivo é levar o paciente — nessa abordagem, chamado de cliente — a compreender o que ele tem dentro de si e reconhecer que pode ser muito melhor. Trata-se, portanto, de um acompanhamento eficaz para pessoas com problemas causados pela autocrítica, baixa autoestima, entre outros.


Reich

Em pesquisas Reich descobriu que os distúrbios psíquicos e emocionais estão sempre associados a alterações corporais e fisiológicas, como problemas respiratórios, circulatórios, sensoriais, entre outros. Essas descobertas passaram a ser base de entendimento das doenças psicossomáticas.

A formação da personalidade acontece durante o desenvolvimento da criança, por isso, traumas, privações e sofrimento afetivo ficam associados a alterações psicomotoras.

Além disso, as pesquisas levaram também à descoberta de que cada corpo possui uma energia vital que circula pelo organismo, ou seja, regiões com deficiência energética (pela falta de circulação desta) apresentam mais problemas do que outras. Resumindo: a abordagem Reichiana atua a nível psicológico, corporal e bioenergético.


Terapia cognitivo-comportamental

Aaron Beck foi quem deu origem aos estudos dessa abordagem, quando entendeu a influência da cognição — pensamentos, percepções de mundo — sobre as emoções, comportamentos e o consequente desenvolvimento de transtornos nos pacientes.

Apesar de ter origem no behaviorismo, a TCC nasceu a partir de estudos que Beck realizou com o objetivo de testar as hipóteses de Freud sobre a depressão. Conforme a avaliação dos resultados, ele percebeu que a cognição estava relacionada com os processos de adoecimento psicológico.

Beck compreendeu que cada pessoa possui uma forma de ver o mundo. São padrões de pensar e agir que se constroem e se cristalizam de acordo com as experiências vivenciadas. E são exatamente os pensamentos disfuncionais que produzem emoções negativas e desencadeiam comportamentos inadequados ou autodestrutivos.

Trata-se de uma abordagem bastante diretiva e que pode ser aplicada em todos os tipos de transtornos com efetividade. O terapeuta cognitivo avalia os padrões e esquemas mentais do paciente até chegar à sua crença central, que dá origem às disfunções comportamentais.

A partir das técnicas cognitivo-comportamentais, o terapeuta propõe uma reestruturação cognitiva e ajuda o paciente a modificar suas crenças e assumir um novo repertório de pensamentos e comportamentos.

Gestalt

O termo Gestalt, em português, significa forma ou configuração, porém não é muito utilizado em Psicologia por não condizer com seu significado nesta área especificamente.

A Psicologia da Gestalt é uma teoria coerente dentro da história da Psicologia e estuda as sensações (dado psicológico) de espaço-forma e tempo-forma (o dado físico).


28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Relações Pais x Filhos

Filhos, já pensaram em tornar seus pais “desnecessários” para vocês e se tornarem desnecessários para eles também? Ser adulto saudável é ser bem resolvido em 2 pilares básicos: emocionalmente e financ

Comments


bottom of page